A espiral do silêncio: música x ideologia política

A música sempre foi instrumento de propagação de ideias, isto é inegável. O poder que a mesma tem em mobilizar as pessoas é imensurável. Desde os protestos serenos de Bob Dylan às críticas caricaturadas de Roger Waters, temos inúmeros motivos para concordar que a música está intrinsecamente atrelada à propagação de ideias. Como era de se esperar, muitas vezes estas ideias não estão em sintonia ou, ainda mais, vão de encontro umas com as outras. Como imaginar que o complexo ser humano seria algo diferente disto? Ainda assim, a música está lá fazendo este papel de mensageiro, muitas vezes de alta amplitude. Isto tudo para falar do momento atual do Brasil. Ideias em conflito estão engolindo as pessoas e a música está indo junto neste barco. O contraditório é zona de perigo. A liberdade de expressão é um risco. Pensar diferente é inaceitável. Uma palavra pode te abduzir para um vortex de solidão ideológica. E por qual motivo eu coloco os músicos numa posição diferenciada neste processo?

Cássio SáA espiral do silêncio: música x ideologia política

As dificuldades do Busking

Em abril de 2016 me mudei para Lisboa cheio de ideias aventureiras na cabeça. Para começar, cheguei aqui indo para o meio da estrada na Espanha e pedindo carona. Tinha acabado de sair de um relacionamento e queria me jogar de corpo e alma às aventuras que me aguardavam mundo a fora. Uma das ideias que apareciam muito insistentemente na minha cabeça era o busking. Ou seja, tocar na rua e receber umas moedas em troca. Logo na primeira semana em Lisboa, fiz meu primeiro busking e os obstáculos já vieram de pontapé no meu peito: muito calor, eu suava muito, muito barulho, tinha que forçar muito a voz pra as pessoas me escutarem, tinha que tocar o violão bem forte e as sutilezas quase não eram ouvidas, etc. Ainda assim, eu continuei fazendo porque eu tinha prazer em fazê-lo. A primeira impossibilidade apareceu quando eu comecei a trabalhar a sério num restaurante de fado, e meus horários me deixavam bastante limitado. Nesse meio tempo, conheci meu parceiro de busking, Oliver Cañete, e de vez em nunca conseguíamos marcar algo.

Cássio SáAs dificuldades do Busking

Marketing Digital e Musical – O Youtube como ferramenta estratégica contra desafios globais

Em 2011, o Youtube já tinha 1 trilhão de visualizações, o que significa aproximadamente 140 visualizações para cada ser humano existente (WSI, 2013). Ainda segundo a empresa de marketing WSI, organizações que ignorarem os media sociais estão fadadas ao fracasso.

Cássio SáMarketing Digital e Musical – O Youtube como ferramenta estratégica contra desafios globais

Do vinyl ao streaming: O consumo da música como instrumento de aproximação e diferenciação de classes sociais

A intensificação das trocas comerciais e culturais entre povos de diferentes partes do mundo se manifesta ativamente em padrões atuais de consumo, bem como suas implicações sociais (Bran, 2015:8). Neste estado da arte, discutimos a respeito do consumo da música como um fenômeno social sob o ponto de vista de aproximação e diferenciação de classes sociais. Ao longo da história, a indústria fonográfica sofreu constantes transformações, alavancadas, principalmente, pelo avanço da tecnologia e o crescimento do registro e reprodução digitais, sobrepondo-se ao analógico. A forma de se consumir música se deu de várias maneiras, desde o disco de vinyl até os serviços de streaming. A popularização do acesso à música foi reflexo de fenômenos sociais, como a reprodução ilegal de CDs e os websites que disponibilizavam música grátis para download. A partir do momento em que a música tornou-se acessível para todos, independente da sua classe ou estrato social, notou-se a presença de um movimento contrário a esta tendência. Procuramos, aqui, evidenciar a criação dos serviços de streaming como movimento de diferenciação social dos consumidores em oposição ao fácil acesso à música promovido pelos meios digitais. Recorte histórico O vinyl surgiu em sua forma padrão em 1948 e nas décadas …

Cássio SáDo vinyl ao streaming: O consumo da música como instrumento de aproximação e diferenciação de classes sociais