Bem vind@ ao CS Blog!

Saudações! Aqui quem fala é Cássio, o rapaz do desenho no topo da página, tudo bom?

Primeiramente, gostaria de agradecer a você por ter chegado até aqui, e dizer que daqui pra frente, esse é o nosso canal oficial de comunicação, no qual eu lhe deixarei por dentro de todos os meus projetos e viagens musicais, além de dicas sobre homestudio, composição, ideias criativas, DIY (projetos “faça você mesmo”), e muito mais.

Achou interessante? Quer entrar nessa viagem musical comigo?

Então vamos lá! Clique nesse LINK aqui e cadastre seu e-mail para ter acesso instantâneo a todo meu conteúdo.

Se você gostou e quer mais ainda, basta acompanhar meu Facebook, Youtube, Soundcloud, Twitter e Instagram.

Muito obrigado pelo seu interesse, e um grande abraço do comparsa!

Explore por categorias:

Share
Cássio SáBem vind@ ao CS Blog!

Sublimation – Novo Single de Cássio Sá

Dois anos e meio depois do meu último lançamento, eu compartilho com vocês meu novo single. “Sublimation” é um termo que, previamente, eu só havia tomado conhecimento nas aulas de física como o processo de transição de uma substância do estado sólido diretamente para o estado gasoso. No entanto, esta música não é sobre isto. O termo “sublimação” foi tomado emprestado da teoria de Freud na psicanálise, que concerne a conversão de um impulso negativo em uma atividade benéfica e não-prejudicial.

A ideia de escrever esta música veio a mim depois de uma viagem que eu fiz a Paris, na qual eu visitei os locais que eu frequentava na época que eu morava lá. Neste momento, andando nas ruas frias do inverno parisiense, eu não pude parar de pensar nas coisas que eu podia ter feito melhor e como eu poderia ter evitado as coisas que não deram certo. Depois de dois anos guardando sentimentos negativos sobre esta jornada, eu podia, finalmente, esquecer e seguir em frente.

Ao pesquisar sobre o assunto, descobri que existem quatro fases pelas quais passamos diante deste tipo de experiência: negação (denial), ira (anger), depressão (go down) e sublimação (accept it). Depois da quarta fase, podemos transformar este sentimento negativo que guardamos em impulso para nos motivar a realizar ações que se convertam em resultados positivos para nós. Desta forma é possível virar a página e dar seguimento às nossas vidas.
A minha vontade de compartilhar este sentimento com as pessoas através da música é impulsionada pelo desejo de que isto possa representar um auxílio a todos que gastam suas energias e tempo odiando e remoendo algo que aconteceu no passado, deixando o presente em segundo plano. Tudo que temos para mudar algo nas nossas vidas é o presente e temos que aproveitá-lo para fazer o melhor por nós mesmos e para quem amamos.

A nível musical, Sublimation é o que eu entendo como uma mistura da leveza do Folk com o peso e energia do Rock. Durante meus momentos de serenidade e reflexão, eu me sinto mais Folk, e durante os momentos que eu sinto a motivação para agir, eu me sinto mais Rock. A guitarra acústica e elétrica andam de mãos dadas nesta música, representando os dois sentimentos presentes simultaneamente em cada um de nós. As maiores influências desta música são Damon Albarn, Kansas, George Harrison, Pink Floyd e Johnny Cash.

Baixe ou ouça ‘Sublimation’ em todas as plataformas!
Spotify: http://bit.do/sublimationspotify
Soundcloud: http://bit.do/sublimationsoundcloud
Itunes: http://bit.do/sublimationitunes
Deezer: http://bit.do/sublimationdeezer
Bandcamp: http://bit.do/sublimationbandcamp
Google Play: http://bit.do/sublimationgoogleplay

 

 

Coming back where I started
I can realize
Walking though these cold streets
Made change my mind

Why was I stuck in time?
Why didn’t I work it out?

Freezing winds come clear my eyes
So that I can see
Falling leaves remind me what
I have done to me

Why was I so afraid
To fail myself?
Why didn’t I just get up
And do it well?

Denial
Anger
Go down
Accept it

Let’s stop and take the best
From our fails
Let’s grow and take the chance
To be real
Real good

Now we can just turn the page
And move on for good

Let’s stop and take the best
From our fails
Let’s grow and take the chance
To be real
Real good

Share
Cássio SáSublimation – Novo Single de Cássio Sá

17 anos sem George Harrison

Hoje faz 17 anos da morte de George Harrison, guitarrista dos Beatles, idealizador dos Traveling Wilburys e dono de uma carreira solo espetacular. É estranho sentir nostalgia por um cara que sequer tive a oportunidade de apreciar enquanto estava vivo. Isso me faz pensar na transcendência que é a música e a figura de um músico bem sucedido. George Harrison é um claro exemplo disso.

Sendo sempre citado entre os melhores guitarristas da história, George criou um estilo rico e único que influencia uma leva de músicos desde então. Ele é o tipo de artista que consegue te passar uma mensagem mesmo se você não conhece a fundo a carreira dele. Ele é profundo até em sua superfície.

A pessoa que conhece apenas músicas como My Sweet Lord, Here Comes the Sun e While my Guitar Gently Weeps já diz que admira Harrison como o artista fantástico que ele é. E isso não é hipocrisia, ou mania de poser. Mesmo as músicas mais pop dele causam um efeito de apreciação inigualável. Se você vai afundo e descobre músicas como Behind that Locked Door, Don’t let me Wait too Long e Awaiting on you all você se vê dentro de um mundo de emoções diversas: Tranquilidade, serenidade, alegria, euforia, criticidade e tudo mais que vem no pacote.

Tenho convicção ao afirmar que ele é uma das minhas maiores influências, tanto de musicalidade quanto de filosofia de vida. Isso é uma das coisas maravilhosas que a música nos proporciona: A transcendência de valores. Sem dúvidas, é uma das melhores maneiras de entrar para a história, e com certeza, George Harrison o fez. Celebremos, então, sua memória. Viva George!

George Harrison

* 25/02/1943

┼ 29/11/2001

Share
Cássio Sá17 anos sem George Harrison

A espiral do silêncio: música x ideologia política

A música sempre foi instrumento de propagação de ideias, isto é inegável. O poder que a mesma tem em mobilizar as pessoas é imensurável. Desde os protestos serenos de Bob Dylan às críticas caricaturadas de Roger Waters, temos inúmeros motivos para concordar que a música está intrinsecamente atrelada à propagação de ideias. Como era de se esperar, muitas vezes estas ideias não estão em sintonia ou, ainda mais, vão de encontro umas com as outras. Como imaginar que o complexo ser humano seria algo diferente disto? Ainda assim, a música está lá fazendo este papel de mensageiro, muitas vezes de alta amplitude.

Isto tudo para falar do momento atual do Brasil. Ideias em conflito estão engolindo as pessoas e a música está indo junto neste barco. O contraditório é zona de perigo. A liberdade de expressão é um risco. Pensar diferente é inaceitável. Uma palavra pode te abduzir para um vortex de solidão ideológica. E por qual motivo eu coloco os músicos numa posição diferenciada neste processo?

Leia mais

Share
Cássio SáA espiral do silêncio: música x ideologia política

As dificuldades do Busking

Em abril de 2016 me mudei para Lisboa cheio de ideias aventureiras na cabeça. Para começar, cheguei aqui indo para o meio da estrada na Espanha e pedindo carona. Tinha acabado de sair de um relacionamento e queria me jogar de corpo e alma às aventuras que me aguardavam mundo a fora. Uma das ideias que apareciam muito insistentemente na minha cabeça era o busking. Ou seja, tocar na rua e receber umas moedas em troca.

Logo na primeira semana em Lisboa, fiz meu primeiro busking e os obstáculos já vieram de pontapé no meu peito: muito calor, eu suava muito, muito barulho, tinha que forçar muito a voz pra as pessoas me escutarem, tinha que tocar o violão bem forte e as sutilezas quase não eram ouvidas, etc. Ainda assim, eu continuei fazendo porque eu tinha prazer em fazê-lo. A primeira impossibilidade apareceu quando eu comecei a trabalhar a sério num restaurante de fado, e meus horários me deixavam bastante limitado. Nesse meio tempo, conheci meu parceiro de busking, Oliver Cañete, e de vez em nunca conseguíamos marcar algo.

Leia mais

Share
Cássio SáAs dificuldades do Busking