Do vinyl ao streaming: O consumo da música como instrumento de aproximação e diferenciação de classes sociais

A intensificação das trocas comerciais e culturais entre povos de diferentes partes do mundo se manifesta ativamente em padrões atuais de consumo, bem como suas implicações sociais (Bran, 2015:8). Neste estado da arte, discutimos a respeito do consumo da música como um fenômeno social sob o ponto de vista de aproximação e diferenciação de classes sociais. Ao longo da história, a indústria fonográfica sofreu constantes transformações, alavancadas, principalmente, pelo avanço da tecnologia e o crescimento do registro e reprodução digitais, sobrepondo-se ao analógico. A forma de se consumir música se deu de várias maneiras, desde o disco de vinyl até os serviços de streaming. A popularização do acesso à música foi reflexo de fenômenos sociais, como a reprodução ilegal de CDs e os websites que disponibilizavam música grátis para download. A partir do momento em que a música tornou-se acessível para todos, independente da sua classe ou estrato social, notou-se a presença de um movimento contrário a esta tendência. Procuramos, aqui, evidenciar a criação dos serviços de streaming como movimento de diferenciação social dos consumidores em oposição ao fácil acesso à música promovido pelos meios digitais. Recorte histórico O vinyl surgiu em sua forma padrão em 1948 e nas décadas …

Cássio SáDo vinyl ao streaming: O consumo da música como instrumento de aproximação e diferenciação de classes sociais